Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




... que não livros. 

 

Espero que me perdoem esta desfaçatez!

 

Mas andei a comentar em poiso alheio (um poiso que me parece muito bom, já agora).

 

Este problema do falhanço da massificação do ensino é complicado... Não me parece que tenha falhado (pelo menos se entendermos "falhar" como "mais valia não ter acontecido") — e não me parece por razões parecidas com aquelas que explico neste outro post sobre a razão porque acho que se lê mais hoje em dia, apesar do que se diz.

 

Sim, em média, os jovens que estão hoje na escola têm piores notas e são mais mal informados do que os jovens que estavam na escola há 50 anos. Porquê? Principalmente porque havia uma pré-selecção. A motivação para o estudo de quem ia para a escola era outra, porque o ambiente familiar de famílias muito seleccionadas de há 50 anos era melhor do que o ambiente das famílias portuguesas todas de hoje em dia.

 

Mas, nem o número de famílias com "bom ambiente" diminuiu (antes pelo contrário), nem o nível educacional dos portugueses em geral foi por água abaixo (muito pelo contrário). Se fizermos uma experiência mental parecida com a do meu outro post, veremos que, em 100 jovens portugueses escolhidos aleatoriamente (entre quem vai e quem não vai à escola), estamos muito melhor agora do que há 50 anos.

 

Ou seja, os jovens que estão hoje na escola têm formação pior do que os jovens que estavam na escola há 50 anos, mas os jovens em geral de hoje em dia têm uma formação incomparavelmente melhor do que os jovens em geral de há 50 anos

 

Sei que é desesperante perceber que o bom ensino ministrado a umas quantas famílias (principalmente nas cidades) não pode ser espalhado por toda a população sem perder qualidade. Mas mesmo assim estamos melhor do que há 50 anos...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:40


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Lolita a 28.01.2014 às 22:08

O bom ensino perde-se muito por diversas razões. Uma delas é não empregarem mais professores nas escolas e isso leva a que cada vez mais as turmas sejam mais númerosas. Por vezes chegam a ter 30 alunos para um só professor. Em termos de ensino primário, onde as crianças são mais pequenas, agitadas e onde cada uma tem as suas necessidades, torna-se dificil, para o professor, exercer o seu trabalho e dedicar-se a 100% a todos os alunos. Se contratassem mais professores e diminuissem os número de alunos por turma seria muito mais fácil ajudar cada aluno pormenorizadamente, atendendo às suas características e dificuldades. Com certeza que o ensino seria muito melhor e isso seria reflectido no futuro dessas mesmas crianças e no nosso país também. Mas o governo pouca importância dá a isso e é por isso que isto está como está.
Imagem de perfil

De Fernando Lopes a 28.01.2014 às 22:41

Concordo com o seu ponto de vista, sem reservas. Apesar dos dramas individuais, tudo, do ensino ao nível de vida, é melhor hoje do que há 40 e tal anos atrás quando iniciei a escola primária. Perdeu-se de um lado, ganhou-se de outro mais vasto. Existem no entanto coisas que mexem comigo. Na primária ou no liceu existia um respeito pelos mais velhos que se perdeu. Dou-lhe um exemplo: o pessoal não docente merecia o nosso respeito, quanto mais não fosse porque era mais velho. Hoje muitos meninos tratam-nos com uma altivez estranha, como se fossem seus empregados e não parte essencial do processo educativo. Dir-me-á que é um movimento da sociedade em geral e não só dos infantes. Concordo com tristeza, pois uma sociedade que negligencia os mais jovens e trata com sobranceria os mais velhos, não tem futuro.
Imagem de perfil

De Marco Neves a 28.01.2014 às 23:59

Obrigado pelo excelente comentário. Partilho a tristeza com a "estranha altivez" que por aí se vê... Com um filho com 15 meses, espero mesmo conseguir ensiná-lo a não ser assim.

Até breve!
Imagem de perfil

De Fernando Lopes a 29.01.2014 às 01:02

Tranquilize-se meu caro, o carácter tende a ser hereditário.

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog