Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Tinha pensado escrever um post sobre os aeroportos e sobre como são cenários de tristeza e de esperança quando nos vamos despedir dos amigos que emigram — mas estava a sair-me tudo muito lamechas e há coisas que merecem mais do que um mau post num blog.

Por isso digo apenas: tenho amigos que são maiores do que o país onde nascerem. Pronto, digo mais: a terra de cada um de nós é onde estão aqueles de quem gostamos — por isso, emigrámos todos, um pouco, convosco.

Adiante: não há despedidas, há apenas o entusiasmo de sabermos que vão ser tão felizes como merecem: um grande abraço, Ana, Telmo e Francisco.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há muitos anos (enfim, há oito), li uma crónica de Vasco Graça Moura com a qual não concordei. Armado aos cágados, escrevi-lhe um email a dizer o que pensava (era na altura em que os cronistas ainda punham os emails por baixo das crónicas do jornal). Confesso que não esperava resposta.

 

Pois, incrivelmente, Vasco Graça Moura respondeu-me, de forma muito simpática, descansando-me em relação ao ponto que eu não tinha compreendido, explicando os pontos da crónica que eu rebatia e desabafando por estar no meio duma sessão plenária do Parlamento e estar com pouco tempo para escrever muito mais, como quem diz é disto que eu gosto: escrever, discutir, pensar.

 

Isto pode parecer um pormenor: mas quantos de nós responderíamos a um perfeito desconhecido, imersos em tudo o que temos para fazer? E não somos um poeta como ele, um tradutor literário de primeira linha, um político famoso. Pois Vasco Graça Moura era o poeta que era, o tradutor que era, o político que era — e respondeu a um rapaz qualquer, que lhe escreveu sobre uma crónica, e fê-lo com todo o desprendimento de quem não se importa de conversar sem olhar com quem fala.

 

Esta é a minha forma de prestar uma pequena homenagem a este homem, que acabou por embater naquele muro em que todos, grandes e pequenos, acabamos. Mas ao contrário de nós outros, foi um poeta e os poetas, já sabemos, não morrem. Basta que alguém os leia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Leiam aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 23:46

Sim, exacto, isto tem andado parado, mas estou a preparar uma novidade...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:27

Fluviário

26.04.14
Fui hoje a Mora conhecer o Fluviário e não posso deixar de recomendar. Sigam com vossos filhos e conheçam os peixes do rio e rido o que os rodeia.

Cuidado com as piranhas!

E observem bem as lontras...

Autoria e outros dados (tags, etc)

image.jpeg

Aquilo que a revolução nos trouxe de mais importante não foi o desenvolvimento, não foi sequer a possibilidade de escolher o governo que quisermos.

Foi, isso sim, a possibilidade de mandar o governo que escolhemos dar uma volta alguns anos depois. O 25 de Abril trouxe-nos a possibilidade de tentar e errar e tentar de novo. Sim: andamos com dificuldades em errar menos. Mas em breve podemos tentar de novo, e isso faz toda a diferença.

Agora, claro, a democracia não fica por aí: também temos de escolher melhor (temos tido problemas nisso), temos de participar mais (nas autarquias, nos partidos, nos movimentos e associações, nos debates) e exigir mais de cada um de nós e não tanto de entidades abstractas como o país, "eles", "esses gajos", etc.

Enfim, digamos o que dissermos, podemos falar e podemos escolher por causa daquilo que aconteceu há 40 anos.

E podemos ver todos os partidos a falar na assembleia, aqueles partidos que mal ou bem lá pusemos. Já não temos uma artificial União Nacional, a união dos calados e dos serenos.

Que sejamos livres, mal ou bem. Já sabemos que não é fácil. Mas isto, a liberdade, desculpem lá, mas ninguém nos vai tirar.

Viva o 25 de Abril!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este blog não podia deixar passar em branco este dia. 

 

É o dia do Livro. Porquê? Por várias razões, uma delas a seguinte: comemora-se hoje o dia em que morreram Shakespeare, Cervantes e Josep Pla (se não sabem que é este último, shame on you e toca de ir investigar).

 

Como o mesmo tem origem na minha Catalunha (quem me conhece sabe do que estou a falar), ofereço-vos uma rosa e um livro, que é assim que os catalães celebram este que é um dos mais importantes dias dessa região/nação (riscar o que não interessa):

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:23

Desculpem lá qualquer coisinha, mas tenho andado com uns projectos entre mãos que não me deixam muito tempo para o blog. Mas ele lá vai andando, aguentando-se com uma pequena dose diária.

 

Hei-de voltar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 00:35

Pág. 1/4



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2014

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog