Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros & Outras Manias

Livros & Outras Manias

01
Jan14

¶ Para começar o ano, vamos voltar 30 anos atrás

Marco Neves

image.jpeg

Bom 2014!

Sim, já passaram 30 anos desde o futuro sombrio de 1984... Ontem, na Fnac, comprei o livro, de novo. Sim, de novo, porque tinha uma edição em casa que nunca li por nenhuma razão em especial. Quando peguei nesta outra edição, ontem, apeteceu-me ler, de imediato, e disse adeus aos 8 euros que custou o livro. Algumas pessoas vão pôr as mãos na cabeça. Este gajo é doido! Comprou um livro que já tinha? Pois, meus amigos, isto dos livros é mesmo um vício, uma mania... Nem tudo o que está associado aos livros é muito saudável. A mim, dá-me para estas coisas: comprar um livro que já tinha. Bolas, espero que a minha mulher não leia isto. Se ler, há que dizer: só fiz isto uma ou duas vezes! Há coisas piores! É um livro!! E é um livro muito importante para a consciência da humanidade, blá blá blá. (Acho que não vai valer a pena, o disparate foi grande e mereço o raspanete... Os tempos não estão para deitar 8 euros para o lixo. Não que tenha sido deitar para o lixo, mas vocês percebem.)

Mas, sim, é um livro muito importante, que nos deu um novo vocabulário para lidar com uma certa forma de ditadura: Big Brother (sim, não foi a Teresa Guilherme que inventou tal coisa), newspeak, e já isto basta.

Tenho a dizer algumas coisas: não confio muito nas utilizações abusivas que se fazem do termo newspeak. É comum ler este termo usado como acusação contra quem não usa o mesmo vocabulário que nós. Mas, vamos lá ver, nem todo o vocabulário diferente por motivos ideológicos, profissionais ou de interesses pessoais pode ser considerado newspeak. E também desconfio que controlar o pensamento através da manipulação linguística é uma invenção literária magnífica, mas cuja utilização real quase sempre se vira contra o feiticeiro. 

Outra nota ainda: a primeira frase soa um pouco mais estranha aos ouvidos ingleses do que aos ouvidos portugueses. Porquê? Bem, os nossos relógios também só têm 12 horas, mas estamos habituados a pensar no formato de 24 horas. Assim, dizer "13 badaladas" ou algo do género não é assim tão estranho.

E agora vou mas é ler o romance. Quer dizer, antes de isso ainda tenho de acabar o Wilt.

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031